domingo, 12 de dezembro de 2010

A Viagem (Só de ida) do Peregrino da Alvorada

Como disse em meu post anterior, assisti o filme "As Crônicas de Nárnia: A Viagem do Peregrino da Alvorada", e agora venho a publicar a minha crítica sobre o filme, gostaria de começar dizendo que sou um grande fã de As Crônicas de Nárnia, Tenho, lí e gostei de todos os livros e também assisti e gostei (apesar das alterações em minha opinião desnecessárias em Principe Caspian) dos filmes anteriores. Além disto, a Viagem do Peregrino da Alvorada é minha crônica preferida. Também preciso ressaltar que já lí algumas críticas e fãs comentando criticas dizendo que muitos tem falado mal, mas sem apresentar argumentos significantes ou sem conhecer realmente a obra (o que posso até concordar), por isso gostaria de pedir que você que é fã tenha um pouco de paciência pra ler todos os argumentos e a conclusão desta crítica e realmente julgar se são ou não coerentes, lendo de forma desarmada, sem querer defender o filme apenas por ser uma crônica de Nárnia e por amá-la por isso (assim como eu). Dito tudo isso vamos a crítica em sí:

Primeiro preciso criticar o filme como filme em sí, sem me ater ao fato (que considero mais importante) da comparação com o livro e com o que a crônica original é e quer passar. Mas ao contrário de muitas críticas vou mostrar e dividir exatamente meus critérios. Acredito que 5 coisas sejam fundamentais em um filme como esse: Trilha e efeitos sonoros; Atuação; Roteiro; Efeitos especiais e Cenário (+ fotografia). Pois então vamos a cada um deles:

Trilha e efeitos sonoros: Nada a reclamar dos efeitos sonoros do filme, até porque dificilmente este é um ponto crítico em qualquer filme, já a trilha sonora infelizmente decai muito perto do nivel dos anteriores, o compositor dos filmes anteriores é Harry Gregson Williams e fez um trabalho tão bom que ainda deixou sua marca com a música que timidamente acabou se tornando tema de Nárnia. O novo compositor, David Arnold, não conseguiu manter o mesmo nível, fazendo músicas que não dão nem de perto o mesmo clima épico dos predecessores.

Atuação: Este é um dos pontos que mais salva o filme, já que apesar das falas escolhidas pelo roteirista os atores mandam bem, especialmente Will Pouter que é o Eustáquio perfeito, bem pelo menos dentro do roteiro inventado sob a aprovação do diretor, Michael Apted. Skandar Keynes (Edmundo), Ben Barnes (Caspian) e Georgie Henley (Lucia) também mandam bem em seus respectivos papéis, sendo convincentes e por vezes até comoventes.

Roteiro: Não vou me ater as adaptações ainda, vou apenas analisar a escolha das falas durante o filme neste tópico, e cá entre nós, foi quase cômica. Tem muitas falas horríveis (obs, assisti o filme dublado pq só tinha esse aqui em Valinhos, mas devo assistir legendado ainda, o que acho que ajudaria um pouco no filme), coisas como: "Estou aqui, venha me comer!" Dito por Edmundo à serpente marinha se repetem muitas vezes pelo filme, sem se darem conta do quão óbvias e toscas são. Por outro lado as narrações do diário de Eustáquio são excelentes e engrassadíssimas, mas não são suficiente para salvar o filme.

Efeitos especiais: Os efeitos até que são interessantes, pra começar o navio foi filmado sem tocar uma vez se quer na água, e em tempo algum do filme você duvida que ele esteja de fato navegando. Outros efeitos são aplicados durante todo o filme e em geral são muito bonitos, o maior de todos eles é o Dragão e a serpente marinha, a serpente ficou excelente, já o dragão convence melhor quando de longe, pois em plano detalhe sofre um pouco com as expressões faciais dúbias, o que admito ser um problema dificílimo de ser resolvido, de qualquer forma não chega a ser um ponto que puxe o filme pra baixo.

Cenários e fotografia: Sem dúvida o pior Nárnia com relação a isso, devem ter economizado pra caramba com cenário. O Peregrino é um dos poucos cenários que realmente convencem. Os demais são fracos em detalhes e dão uma dimensão super restrita, o que deveria ser exatamente o oposto, visto que são ilhas na maioria grandes (ou deveriam ser) no meio de um enorme oceano. Infelizmente se comparado a beleza e riqueza dos cenários e da fotografia dos filmes anteriores fica nítido o que estou dizendo.

Pois é, em resumo comparando este filme em termos técnicos aos anteriores, ele é o mais fraco até então. Mas isso não é o que realmente considero que derrubou e me decepcionou quanto a esse filme, mas sim as adaptações feitas no mesmo, e agora sigo a relatar quanto a isso:

Se você viu e achou as leves alterações de Principe Caspian desnecessárias não acreditaria no que houve com esse filme. Fui assistí-lo com muitos amigos (fora de brincadeira 90% da sala de cinema eram amigos meus). Tinham pessoas que nunca leram o livro, pessoas que já, pessoas que viram os outros filmes e que não, e todos acharam essa história das sete espadas super confusa. Isso pra não falar na tal da fumaça verde e em como dão ênfase na cena do Coriakin dizendo sobre o grande mal que poderia dominar o mundo e na prática tudo parece muito diluído, de forma a tornar a situação incoerente. Sobretudo, procurei saber se Michael Apted acredita realmente em Aslan (Jesus) em nosso mundo, mas não encontrei nenhuma informação a esse respeito, porém devido as opções que ele fez no filme arrisco dizer que ele não acredita ou não entende bem o que de fato é o cristianismo e as mensagens que Lewis queria passar com a crônica. Isto porque durante o filme como um todo a proposta apresentada por Apted é de que os personagens se aprimoram e se transformam a partir de seus próprios esforços, vamos aos exemplos: Eustáquio ao virar dragão se torna bom, mesmo antes de ter um encontro significativo com Aslan, de fato no livro ele se entristece muito quando na forma de dragão, e até ajuda a arranjar um mastro novo pro navio (no livro, já que no filme num tem porque arranjar mastro novo visto que a serpente marinha nem apareceu até esse momento), mas só se transforma realmente o caráter depois que Aslan o transforma novamente em menino, já no filme enfatizam meio como se o castigo de ter virado dragão foi o que o fez mudar. Outro exemplo é Caspian no final admitindo por conta própria que deve voltar para guiar seu povo, como rei, sendo que no livro pra tomar tal decisão ele precisa escutar uma "burduada" de Aslan primeiro, dentre outros exemplos. Já a proposta da espiritualidade cristã é justamente o contrário, é dizer que por mais que tentemos ser bons não conseguimos ser o suficiente, apenas Jesus/Aslan é que foi capaz de fazer isso por nós. Outra coisa que me faz questionar se Apted realmente acredita que o outro nome pelo qual Aslan é conhecido em nosso mundo seja Jesus, é que ele omite coisas que explicitam isso como a figura do cordeiro na praia assando peixes (imagem idêntica a descrita em João 21), ou quando ele diz que para chegar ao país de aslan em nosso mundo é preciso atravessar um rio, mas não temam pois Ele é o grande construtor da ponte, fazendo menção a Cruz.

A ordem das ilhas é completamente diferente. Não existe essa história de sete espadas ou fumaça verde, o objetivo do livro era reencontrar os sete lordes perdidos e buscar aventuras rumo ao extremo oriente onde talvez chegassem ao país de Aslan no fim do mundo. O cerne do livro está na busca pela intimidade de Aslan, em o quanto estamos dispostos a avançar em direção a Ele, e é revelado isso na figura de Ripchip. Que por várias vezes diz que o que mais quer é chegar até o país de Aslan. Outra coisa péssima é que rancaram diálogos importantíssimos do filme, o único que se manteve foi uma parte do último, quando Aslan diz que é conhecido por outro nome. Mas tiram a declaração de Ripchip, sobre o quanto está disposto a avançar em direção ao leste, tiram o de Aslan com Lúcia que revela que ele está sempre por perto, tiram o de Aslan com Caspian até porque o Caspian do filme nem precisa do Aslan pra tomar as decisões certas, tiram boa parte da cena de Aslan com o Dragão e tiram boa parte do diálogo final com Aslan, em resumo no filme Aslan é quase mudo. O que é inconcebível visto que Ele deveria ser o personagem central das crônicas. Isto tudo me deixou muito frustrado em relação ao filme.

Conclusões: Em matéria de filme mesmo, é o pior dos três, tendo uma trilha sonora pior, diálogos piores e tendo um enredo confuso. Quanto a proximidade com a crônica original, é o menos fiel, cortando os diálogos mais importantes pra comparações cristãs. Portanto gostaria de ver a Cadeira de Prata indo ao cinema sim, mas com Andrew Adamson (diretor dos 2 primeiros filmes) novamente, se for pra ter outro filme como esse prefiro que nem seja feito. Fiquei muito decepcionado com o resultado final, e olha que como li muitas notícias antes do filme minhas expectativas já eram baixas e nem assim foram supridas. Em um próximo post vou fazer a relação de parte por parte do filme comparando ao livro, pois ainda tem muito a ser dito quanto a isso, mas sinto que já me estendi demais nesse post. Assista se você quiser, mas em hipótese alguma deixe de ler essa crônica caso não se interesse muito por este filme. Por fim aos fãs, principalmente do mundo Nárnia, sou da opinião que este filme não deve ser incentivado, não deveríamos passar a mão na cabeça de algo assim, este filme não está de acordo com o que C.S.Lewis queria passar com sua Crônica, e portanto acho que como verdadeiros fãs deveríamos é nos posicionar contra tal atitude pra ver se conseguíamos ter um filme digno dos dois primeiros, pelo menos no que tange a realmente fazer uma relação com o Cristianismo.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Narnia

Pois bem, uma vez que nosso contador chegou ao zero, o tirei do blog e com prazer digo a vocês que hoje estréia o terceiro filme das crônicas de Nárnia, é a adapatação da minha crônica favorita, e por isso mesmo acredito que o filme não poderá suprir minhas elevadas expectativas, mas de qualquer forma quero muito assistí-lo e quero incentivar a todos que lerem esse post a assistí-lo tb. O diretor deste terceiro (diferente dos dois anteriores) mudou muita coisa em relação a história do livro, e segundo ele, acredita que a única crônica que tem história pra cinema que ainda não foi feita é a Cadeira de Prata (próxima na ordem escrita e cronológica), portanto duvida que as outras 3 crônicas sejam adaptadas ao cinema, mas todo mundo sabe que acima de tudo o mundo do cinema está interessado é na sua grana, e por isso se esse filme vender muito bem não terão dúvidas em gravar um 4º e se ele vender muito bem aumentam as chances de publicarem os demais. Volto a comentar sobre o filme no domingo depois de tê-lo assistido. Então até breve...

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Mais Casting Crowns (3)

Mais 3 músicas de Casting Crowns hoje, creio que amanhã eu poste mais 3 e chega de casting crown por um tempo rs... bom

Est to West

Dois errinhos de tradução aí, pouco antes do refrão traduzem por "Mas eu me sinto como se fosse um erro afastado do Senhor me deixando dessa maneira", ficou confuso, o que queria dizer é que "ele sente que se ele cometer mais um pecado o Senhor se afastaria dele." o outro erro é depois das duas estrofes e do refrão quando faz a ponte da música pra voltar no refrão traduzem assim: "eu não estou esperando no senhor, mas o senhor está esperando em mim" estranho né? É porque não é esperando o verbo correto e sim segurando, ficaria mais ou menos assim: "eu não estou me segurando no senhor, mas Ele é que está me segurando". Linda a música e muitas vezes eu me sinto como ela diz...


Praise you in the Storm

Essa música é maravilhosa!!! Também tem tudo a ver com momentos que todos nós vivemos.

If we ever needed you

O refrão foi muito mal traduzido, então to postando minha tradução do refrão:
"Senhor precisamos de você agora, mais do que nunca
estamos desesperados por sua mão, nos alcance agora"

é isso aí. Amanhã tem mais Casting Crowns...

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Homofobia?

Olha, esse post tá meio grande, mas vale a pena ler e refletir...

Ontem cheguei ao Mackenzie por volta das 18:00h e uma grande quantidade de pessoas estavam a frente dos portões gritando e falando em megafones, carregando bandeiras e erguendo placas de protesto, ficaram lá por um bom tempo e depois seguiram um mesmo trajeto até a av.Paulista. Pelas bandeiras logo percebi que se tratava de um movimento de alguma forma referente ao homossexualismo, mas não sabia o porque de ser logo em frente ao Mackenzie, me informaram então que tudo se devia a um texto publicado no site do Mackenzie pelo chanceler da faculdade (Rev. Dr. Augustus Nicodemus Gomes Lopes) (o texto pode ser conferido na íntegra aqui: http://www.hospitaldalma.com/2010/11/rev-dr-augustus-nicodemus-gomes-lopes.html) afirmando ser contra a aprovação da lei que pretende tornar crime manifestações homofóbicas o problema é que segundo tal lei qualquer manifestação contrária ao homossexualismo é homofobia! Nesse caso também sou contra tal lei, sou contra o homossexualismo, sim! Apesar de não ter nada contra o homossexual em si (e portanto na lógica natural isso deveria querer dizer que não sou homofóbico, percebe como é contraditória essa lei?)

Aliás Deus (se assim fosse possível) seria o primeiro a ser preso então porque ele chama (em Rm 1:27) de indecentes os atos cometidos entre homens e homens, (e em 1 Co 6:9) chama de perversos os que não herdarão o reino dos céus e então faz uma lista colocando os homossexuais (ativos e passivos) ao lado de idólatras, adúlteros, ladrões, caluniadores, alcoólatras, dentre outros. Ainda assim Deus não é homofóbico (bom só segundo essa lei aí...) já que ele ama tanto os homossexuais a ponto de se fazer gente e morrer no lugar deles. Ele foi crucificado para que eu, você e também todos os homossexuais tivessem uma oportunidade de reconciliação com Deus, de abandono do pecado e uma busca por uma vida de santificação.

Os valores de nossa sociedade estão cada vez mais negociáveis, mas como cristãos não podemos negociar os valores de Deus. Lembre-se que Deus aceita a todos como são, mas os ama demais para os deixar como estão (e ainda mais pra sair por aí forçando transformações, portanto é necessário deixar Deus fazê-lo). Assim devemos agir como Cristo, devemos amar as pessoas como Jesus as amou, sem julgá-las ou apontar para seus pecados mas de braços abertos a todos os pecadores (Pois TODOS pecaram e carecem da Glória de Deus Rm 3:23), o que não significa que tenhamos que apoiar o pecado (nem mesmo o do homossexualismo).

Então ajuntando isso tudo com as músicas de Casting Crowns de hoje e à conclusão, penso que, primeiro as pessoas a nossa volta estão tão envolvidas pelas trevas que não conseguem enxergar o quão maravilhoso é uma vida com Cristo (como mostra na primeira canção cujo video eu só encontrei com legenda em inglês, então postei minha tradução embaixo), segundo muitas pessoas dentro das igrejas tem vivido uma mentira, são falsas e hipócritas fingindo uma vida perfeita e isenta de problemas, isso só afasta pessoas sinceras e que realmente necessitam de um hospital para suas almas (a igreja/o corpo de Cristo), e isso é muito bem demonstrado no segundo video, por fim mais um vídeo que reforça que deveríamos olhar mais pras pessoas do que pra nós mesmos, vemos tantas pessoas se perdendo e caindo todos os dias e achamos que elas sempre estarão lá esperando o dia em que estivermos a fim de levarmos a cura, mas não temos controle sobre a vida e elas podem partir de uma forma ou de outra de nossas vidas e perderão a oportunidade de viverem eternamente ao lado de Cristo.

Blinded Eyes (Olhos cegos)

Você diz que eu sou tolo por chamar por um homem que nunca vi
Você diz que eu sou louco por dar ouvidos a uma voz que nunca escutei
Você diz que eu sou tão ingênuo em pensar que Ele poderia me amar
Mas eu tenho alegria e eu tenho paz
Que nunca mais me deixarão

É porque você nunca viu?
É porque você nunca ouviu falar
Que você está confortável na escuridão
Em um mundo perdido e agonizante?
Ele vai estar a sua volta
Com os braços bem abertos
E você está forçando para vê-lo
Através de olhos cegos

Abra os olhos o lugar onde você está agora é terra santa
Deus resplandeceu Sua luz brilhou em seu coração agora olhe o que você encontrou
É isso mesmo que vocês chamam de justiça
Todos se vestem bem aos domingos
Mas só estão cruzando um palco
Só Jesus nunca se afastou

Abra seu coração, Ele vai abrir os olhos
Mostrar a esperança que você tem aí dentro
Chame pelo nome de Cristo
E Ele vai te salvar
E dar-lhe asas para voar

Stained Glass Mascarade


Does Anybody Hear Her

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Mais Casting Crowns (2)

Continuando a divulgar as músicas que tanto tem abençoado o meu coração recentemente:

In me


Acordei hoje com essa na cabeça, gosto dela porque ela me lembra que não é a minha força ou capacidade que vai definir minhas batalhas, mas sim a força e a capacidade de Cristo, porque graças a Ele não luto mais por conta própria. A, e um clipe com cenas de Final Fantasy 7... rs

I Know you're there:
Essa música linda (clipe do filme prova de fogo) já foi postada por meu irmão no Blog My Precious, mas acho indispensável citá-la porque ela declara de forma maravilhosa o quão intenso é o desejo do autor/compositor de viver pra Jesus, o que sempre me leva a pensar se eu compartilho de tal intensidade, gosto muito da escolha das palavras da música expressam de uma forma muito profunda o conteúdo.

You're love is extravagant:

Por fim escolho essa hoje porque é uma das músicas deles mais expressas diretamente pra Deus (vertical), também gosto de mais da escolha das palavras, principalmente da expressão "capture meu coração de novo". Obs: Só tem uns errinhos de tradução no video, como extravasante no lugar de extravagante, ou "um amor que oculta o pecado" quando quer dizer "um amor que encobre (no sentido de passar por cima e não de esconder) os pecados".

Por hoje é só pe...pessoal.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Mais Casting Crowns

Falei em posts anteriores que Casting Crowns tinha muitas músicas excelentes, mas só postei algumas até agora, então pretendo postar mais músicas nos próximos posts, vou tentar achar videos já traduzidos, se algum eu não encontrar eu posto a tradução, vale muito a pena ouví-las atentamente, como diz meu pai, "hoje em dia essas bandas são profetas, ninguém pode calá-los". Bom aí vão 3 pra começar:

While you are sleeping

Troque U.S.A. por Brasil, por sua cidade, por sua igreja, por você... será que o país/cidade/igreja/você estará dormindo?

If we are the body

Essa música meche muito comigo, se somos o corpo de cristo porque não temos agido como tal? Essa é nossa responsabilidade e se não vivemos pra isso então para que vivemos, percebe o quão sério isso é? A Bíblia faz outra comparação, dizendo que a igreja é a noiva de cristo, mas se não temos vivido pra ele agindo como deveríamos então temos vivido pra outro? Temos nos prostituído? Sei que são palavras fortes mas a própria Bíblia as usa principalmente nos livros escritos por profetas.

Love them like Jesus

Ainda pensando no nosso relacionamento com os outros e sobre nossa responsabilidade e privilégio de levar Jesus a outras pessoas aqui está uma música que nos lembra de que as pessoas estão carentes do amor de Jesus, e tudo que precisamos fazer é amá-las como Jesus as ama.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Camisetas

Só fazendo propaganda aqui pra vocês... vou estampar camisetas brancas com esse desenho na frente e a frase "For Aslan and for Narnia" atrás em minhas próximas aulas de serigrafia. Então se alguém estiver interessado em adquirir uma camiseta dessas basta apenas me dar uma camiseta branca (algodão) do seu tamanho até o dia 21 ou me dar 10 reais e a indicação do tamanho da camiseta (e se quer babylook ou não) até a mesma data. Se alguém se interessar é só comentar... a é, a proposta e a impressão serão minhas mas o desenho foi feito por um tal de "wild spirit" usuário do site de desenhos DeviantArt e foi levemente adaptado por mim.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

POSTAGEM DE NÚMERO 100

Fala galera (nem sei mais se é galera ou não, as vezes tenho a impressão que só eu leio o que eu escrevo aqui rs), de qualquer forma esse é minha centésima postagem, temos que comemorar, gostaria que vc que está lendo esse post não saísse sem comentar algo que te marcou nesses 100 posts...

Mudando de assunto esse domingo que passou Deus me deu durante o culto inspiração para escrever duas letras de música uma em inglês e outra em português (a segunda/em português ficou meio grande, mas já viram o tamanho das músicas do U2? e nem por isso elas deixam de ser boas músicas), elas ainda carecem de títulos (então se alguém tiver uma sugestão fique a vontade):

I just want (eu só quero)
to glorify your name (glorificar seu nome)
I just want (eu só quero)
to bring a smile in your face (fazer você sorrir)

and so I want to sing (então, quero cantar)
more than words, but pieces of life (mais que palavras, mas pedaços de vida)
and so I want to live (então, quero viver)
not for me, but for you all, so... (não pra mim, mas tudo pra você)

(CORO)
I'll do what you do (Farei o que você faz)
I'll say what you say (Direi o que você diz)
I'll praise with my life (Louvarei com minha vida)
by your mercy and grace (Por sua graça e misericórdia)
I'll think what you think (Pensarei o que pensa)
I'll go where you go (Irei aonde você for)
just give me your heart (Só me dê seu coração)
and I'll follow your word (E seguirei sua palavra)
(Oh lord)

I just need (Eu só preciso)
of your presence in my life (De sua presença em minha vida)
I just need (Eu só preciso)
of your grace and your kind (De sua graça e bondade)

and so I open my hands (Então abro minhas mãos)
let other things just slipping through (Deixando tudo mais escapar por elas)
and so I'll lift my hands (E erguerei minhas mãos
giving all of me to you, so... (Dando tudo de mim pra você)

(CORO)

Deny my projects, to be yours (Negar meus projetos, para ser o seu)
is the option that I choose (É a escolha que decido fazer)
so, make me more like you (Então, me faça mais parecido com você)
'cause I depend completely (Porque eu dependo completamente)
of what you are in me (De quem você é em mim)
and thats the life I wanna live (E essa é a vida que eu quero levar)
from now and for all (De agora e por toda a)
ETTERNITY (Eternidade)

(CORO)


Agora a segunda música, em português:

Um dia na eternidade
Você olhou pra mim
E decidiu me amar
Sabendo quem eu fui e sou
Sabendo o que fiz e não fiz
Você decidiu me amar

Um dia na História
Você se fez gente por mim
E decidiu me amar
Pagou o preço
De viver entre os homens
Porque decidiu me amar

(CORO)
Você não precisava
Não precisava
Mas você quis
Você quis
Você não precisava
Não precisava
Mas me amou
Me amou

E naquele dia sofreu por mim
E naquela cruz sangrou por mim
E decidiu me amar
Três dias se passaram
E ressurreto está
Porque decidiu me amar

Um dia em minha vida
Me encontrei com você
Porque decidiu me amar
Contou-me o que fez
Quem era e o quanto
Decidiu me amar

(CORO)

Muitos dias eu o nego
E desprezo o quanto
Decidiu me amar
Vivendo minha vida
Independente de você
Mas ainda assim
Decidiu me amar

Me amou como fui
E me amas como sou
Porque decidiu me amar
Mas me amas ainda mais
Pra me deixar como estou
Você decidiu me amar

(Coro)

E eu, eu decido amar você

Por olhar por mim, eu decido amar você
Por se fazer gente, eu decido amar você
Por morrer por mim, eu decido amar você
Por ressuscitar, eu decido amar você
Por me chamar de filho, eu decido amar você
Por me aceitar e restaurar, eu decido amar você
Por incondicionalmente decidir me amar, eu decido amar você
Porque não precisava, mas quis me amar, eu decido amar você

(Coro)


Bom é isso espero que abençoe o coração de vocês, como abençoou o meu. E por favor não deixem de comentar o que eu pedi no começo, preciso ler uns comentários pra ver o que Deus tem feito através desse blog. Pra me reanimar a escrever.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Mais Nárnia

Falta pouco mais de 30 dias para sair as crônicas de Nárnia nos cinemas e sai mais um trailer, eu sei que sou chato pra filme e que sou mais crítico que a maioria das pessoas, mas gostei demais do primeiro filme e achei o segundo realmente bom, apesar de não tão bom quanto o primeiro, então vendo esses traillers e essas viagens na história eu fico meio com o pé atrás, alguma coisa nesses cenários parece ser muito diferente do que o que imagino ao ler o livro, enfim, espero estar totalmente enganado. Aí vai o trailler...




terça-feira, 2 de novembro de 2010

Carta para Deus


Sem sombra de dúvidas depois de uma semana péssima esse foi um dos melhores fins de semana (e feriado) deste ano, de fato Deus é forte em nossas fraquezas, tenho muito o que compartilhar e mal sei por onde começo, Deus falou comigo de tantas maneiras que é difícil de por em palavras, mas sem dúvida o estopim que me levou a sem postergar abrir o blog e escrever no mesmo momento foi o filme "Cartas para Deus" (mais novo filme da equipe que produziu Desafiando Gigantes, A Virada, e Prova de Fogo). A única coisa que posso dizer sobre o filme é: ASSISTA. Não perca tempo... e aqui vai a carta que incontrolavelmente escrevi a Deus ao acabar de ver o filme.

"Querido Deus,

Quero de todo o coração que você apaixone meu coração por Tí a cada manhã, quero cada veis mais amá-lo. Que nada mais importe pra mim a não ser estar ao seu lado, quero que minha vida seja uma carta pra Tí. Quero que muitas pessoas venham a conhecê-lo através de mim, traga-me sonhos e o desejo de realizá-los, traga-me disposição e fé para acreditar que você me ama o tempo todo o mesmo tanto e que me escolheu para ser seu guerreiro. Quero que cada respiração seja em adoração a Tí, cada projeto, cada gota de nanquim, pixel ou vetor sejam doados aos seus pés, que cada recurso, sentimento, tempo e ação sejam Teus a cada dia.

Te amo Deus, acima de Tudo, lembre-me disso a cada manhã, e todos os dias poderei experimentar um pouco mais do céu, da Tua presença e do que realmente é a Vida, porque Você é o caminho que quero seguir, a Verdade em que acredito e a Vida em que vivo!"

Yuri Costa

Sinta-se a vontade para compartilhar sua carta pra Deus nos comentários, acredito que assim como no filme elas podem abençoar a vida de muitas outras pessoas.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Novo Trailer, o Melhor e o Pior

Pois é, ontem saiu o mais novo trailer do próximo Nárnia, a minha crônica favorita: a Viagem do Peregrino da Alvorada, como trailer pra mim foi o primeiro que valeu a pena, realmente é emocionante e empolgante, mas nele confirma-se o que eu temia, o filme vai mudar absurdamente a história, o primeiro foi bem próximo do livro, o segundo mudaram a ordem dos fatos mas a trama como um todo era em síntese a mesma, agora esse vão viajar na maionese, quero dizer, mesa de Aslan? (isso fica em Nárnia, onde eles se quer pisam no livro), espada, um vilão que é capaz de tirar a luz do mundo, o destino de Nárnia nas mãos deles, olha isso num tem nada a ver com essa crônica, o que me deixou bem triste, o cerne (que chique) dessa crônica é a busca por Aslan, é o quão dispostos estamos a ir em sua direção é uma história sobre o almejo pela intimidade dEle... ainda assim taí o trailer pra vcs conferirem...

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Lifesong sing



Essa música tb é fantástica... expressa demais o que eu sinto nesse momento da minha vida.

Lifesong

Empty hands held high
Such small sacrifice
If not joined with my life
I sing in vain tonight

May the words I say
And the things I do
Make my lifesong sing
Bring a smile to You

Let my lifesong sing to You
Let my lifesong sing to You
I want to sign Your name to the end of this day
Knowing that my heart was true
Let my lifesong sing to You

Lord I give my life
A living sacrifice
To reach a world in need
To be Your hands and feet

So may the words I say
And the things I do
Make my lifesong sing
Bring a smile to You

Hallelujah
Hallelujah
Let my lifesong sing to You

Canção de Vida

Mãos vazias erguidas
Um sacrifício tão pequeno
Se você não se unir com minha vida
Eu canto em vão nesta noite

Que as palavras que eu falo
E as coisas que eu faço
Façam minha canção de vida cantar
Trazendo um sorriso a Você

Deixe minha canção de vida cantar pra Você
Deixe minha canção de vida cantar pra Você
Eu quero assinar Teu nome no fim deste dia
Sabendo que meu coração foi verdadeiro
Deixe minha canção de vida cantar pra Você

Senhor eu entrego minha vida
Um sacrifício vivo
Para alcançar um mundo necessitado
Para ser Tuas mãos e pés

Então que as palavras que eu falo
E as coisas que eu faço
Façam minha canção de vida cantar
Trazendo um sorriso a Você

Aleluia
Aleluia
Deixe minha canção de vida cantar pra Você

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Father, Spirit and Jesus



Desculpem a demora pra postar, como eu disse é difícil escolher qual música por porque todas são maravilhosas, mas essa música em especial me arrepia toda vez que eu a escuto. Espero que abençoe a vocês todos...

Father, Spirit, Jesus

Lord, the worship we bring
Is more than songs that we sing
It’s a reflection of our ever-changing lives
The best we have to offer

We don’t just lift up our hands
Lord, we lift up our lives
For we know that You are worthy of our praise
To You our lifesongs raise

Rescued from darkness
We are walking in marvelous light
For we are children of the King!
SING!

You are worthy of all honor
Glory, praise and power
King of the nations
You are holy God almighty
Clothed in brilliant majesty
Father, Spirit, Jesus

Father, Spirit, Jesus (Tradução)

Senhor, a adoração que nós trazemos
É mais que as músicas que cantamos
É um reflexo de nossas vidas que mudaram pra sempre (ou de nossas vidas que estão sempre mudando)
O melhor que temos a oferecer

Nós não levantamos apenas nossas mãos
Senhor, levantamos nossas vidas
Porque sabemos que és merecedor de nosso louvor
Erguemos nossas vidas em canção pra você

Resgatados da escuridão
Estamos andando numa luz maravilhosa
Por sermos filhos do Rei
Cantamos!

Você é merecedor de toda honra
Glória, louvor e poder
Rei das nações
Você é o Deus santo e onipotente
Revestido em majestade reluzente
Pai, Espírito, Jesus

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Until The Whole World Hears

Foi bem difícil escolher qual música eu postaria primeiro, mas depois de tudo que rolou nesse acampamento, a música que bate mais forte em meu coração no momento é sem dúvida essa: "Until the Whole World Hears" Segue abaixo a música e a letra original e traduzida por mim...




Until the whole world hears

Lord i want to feel your heart
And see the world through your eyes
I want to be your hands and feet
I want to live a life that leads


Ready yourselves
Ready yourselves
Let us shine the light of jesus in the darkest night
Ready yourselves
Ready yourselves
May the powers of darkness tremble as our praises rise

Until the whole world hears lord we are calling out
Lifting up your name for all to hear the sound
Like voices in the wilderness we're crying out
As the day draws near
We'll sing until the whole world hears

Lord let your sleeping giant rise
Catch the demons by surprise
Holy nation sanctified
Let this be our battle cry

Ready yourselves...

We'll sing until the whole world hears
We'll sing until the whole world hears

Want to be your hands and feet
Want to be a life that leads
To see you set the captive free
Until the whole world hears
And i pray that they will see
More of you and less of me
Lord i want my life to be
The song you sing

Until the whole world hears lord we are calling out
Lifting up your name for all to hear the sound
Like voices in the wilderness we're crying out
As the day draws near

We'll sing until the whole world hears
We'll sing until the whole world hears
We'll sing until the whole world hears
We'll sing until the whole world hears
We'll sing until the whole world hears
We'll sing until the whole world hears

Até Que o Mundo Inteiro Ouça

Senhor, eu quero sentir o seu coração
e ver o mundo através dos seus olhos
Eu quero ser suas mãos e pés
Eu quero viver uma vida que direcione (as pessoas)


preparem-se
preparem-se
Vamos brilhar a luz de Jesus, na noite mais escura
preparem-se
preparem-se
Que o poder das trevas estremeça enquanto nosso louvor sobe

Até que o mundo inteiro ouça Senhor, estamos chamando
Levantando seu nome para que todos possam ouvir o som
Como vozes no deserto, nós estamos clamando
Enquanto o dia se aproxima
Nós vamos cantar até que o mundo inteiro ouça

Senhor, deixe seu gigante adormecido surgir
Captura os demônios de surpresa
Nação santa, santificada
Que este seja o nosso grito de guerra

Preparem-se...

Nós vamos cantar até que o mundo inteiro ouça
Nós vamos cantar até que o mundo inteiro ouça

Quero ser suas mãos e pés
Quero viver de modo que direcione (as pessoas)
Pra ver você libertar os cativos
Até que o mundo inteiro ouça
E eu oro para que eles vejam
Mais de você e menos de mim
Senhor, eu quero que a minha vida seja
A música que Você canta

Até que o mundo inteiro ouça Senhor, estamos chamando
Levantando seu nome para que todos possam ouvir o som
Como vozes no deserto, nós estamos clamando
Enquanto o dia se aproxima

Nós vamos cantar até que o mundo inteiro ouça
Nós vamos cantar até que o mundo inteiro ouça
Nós vamos cantar até que o mundo inteiro ouça
Nós vamos cantar até que o mundo inteiro ouça
Nós vamos cantar até que o mundo inteiro ouça
Nós vamos cantar até que o mundo inteiro ouça

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Casting Crown


Caracas, vocês precisam ouvir esses caras. Sério, eu conheci Casting Crowns com a música "Voice of Truth" música tema do filme "Desafiando Gigantes" (Se vc não assistiu a esse filme, pare de ler agora e vá alugá-lo), depois de algum tempo ouvi outras músicas famosas deles, como "Who am I", "Slow Fade" e "Praise You in the Storm" e gostava demais dessas músicas, então um dia eu resolvi parar pra escutar um pouco mais de alguns cantores que tinham músicas que eu gostava bastante, a maioria deles não me surpreendeu, demonstrando que eram apenas algumas músicas mesmo, como é natural, mas dois me surpreenderam positivamente, Jeremy Camp (mas não estou aqui hoje pra falar dele) e Casting Crowns.

Gente na boa, é difícil deu falar que eu gosto de uma banda, pq na maioria das vezes eu gosto de algumas músicas específicas, mas Casting Crown vale a pena (que propaganda hein? Já pensou se eu fosse pago por isso? rs), dêem uma procurada pelo youtube pra ver o que encontram, mas de qualquer forma suas músicas e letras tem me abençoado tanto ultimamente que meus próximos posts serão dedicados a músicas específicas dessa banda, então confiram.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Acampamento do Mosaico

Tentei achar uma foto com td a galera, mas num achei uma com td mundo, então resolvi por essa foto aqui, pq achei a foto muito profissional... sem contar que o "Capitão Filipinho" é uma graça...


Agora GALERA!!! Vai ser trabalhoso falar sobre esse acampa, por dois motivos, primeiro é difícil escolher palavras pra tudo o que aconteceu, segundo porque é difícil digitar enquanto tremo e choro só de lembrar do que Deus fez. Mas também é muito gratificante escrever sobre isso. Deus é Maravilhoso!

Passei a semana anterior ao acampamento muito feliz, cada dia que passava eu jejuava os cafés da manhã e falava com Deus, orava pelo acampamento e por tudo o que ainda iria acontecer. E meus dias iam se enchendo de alegria, aponto das pessoas da facul perguntarem porque tamanho bom humor. Falei sobre o acampa e td mais.... mas é difícil (impossível) de explicar o maior motivo da minha alegria: a presença de Deus. Mal consegui dormir de sexta pra sábado, peguei o primeiro ônibus pra Valinhos, juntei tds as minhas coisas e parti sem saber que esse seria um dos melhores (se não o melhor) feriado que eu vivi até então.

Minha primeira sensação ao chegar no local foi, "Nossa! Quanta gente que eu nunca vi!", porque graças a Deus muitas pessoas foram convidadas pelo nosso pessoal do Mosaico. Demos nossos primeiros avisos, fizemos uma dinâmica pra quebrar o gelo e termos um primeiro contato com o pessoal, e demos um tempo até o almoço. A primeira tarde livre seguiu tímida com o pessoal se soltando aos poucos, e aquela noite tivemos o primeiro culto. O louvor era seguido por skets que davam uma introdução as palestras e por fim tinhamos os pequenos grupos. Esse mesmo esquema se repetiu as manhãs e as noites tds os dias. Mas cada dia Deus fazia sua presença mais nítida.

A sinceridade aumentava na palavra das pessoas, as máscaras eram aos poucos deixadas de lado por cada um que arriscava abrir seu coração e aos poucos Deus ia tocando e transformando a vida de pessoas. Em meio aos cultos, aos grupos, a brincadeiras, lanches e sorrisos, Deus ia se mostrando e sua presença começava a ficar tão nítida que até mesmo os que nunca haviam tido um contato com a presença de Jesus a percebiam e comentavam! Foi simplesmente incrível. Então a coisa mais espantosa do evangelho aconteceu. Pessoas resolveram por vontade própria entregar suas vidas a Jesus! Inclusive em meu pequeno grupo! Puxa eu nunca havia visto isso de perto antes. E sem dúvida alguma, essa é a coisa mais maravilhosa que poderia existir!

Mas sabe o que é melhor, Deus não parou por aí, Ele continuou agindo, iluminando nossas mentes, nos ensinando, falando conosco e se fazendo nitidamente presente. Nossos corações estavam tão cheios de sua presença que ou chorávamos ou ríamos mas sempre por esse mesmo motivo... cantamos com todo o nosso ser no último dia, fomos a frente, sentamos, levantamos, nos ajoelhamos, choramos, rimos, pulamos, e cantamos a todo pulmão. Nossas vidas estavam alí experimentando uma fração do que nos espera por toda uma eternidade, e nada se compara a essa sensação.

Hoje, oro e espero de todo o coração que continuemos a ser usados para alcançar a vida de pessoas, enquanto prosseguimos em um relacionamento crescente com Cristo. Oro e espero que as pessoas que optaram por uma vida diferente nesse acampamento continuem sendo alvo de nosso investimento de oração, tempo, serviço, amizade e convite. E que possamos ser suporte e ensino do evangelho, que possamos ajudá-las a se tornarem verdadeiros seguidores de Jesus com nossas palavras e nosso exemplo de vida.

Estou admirado com tudo o que aconteceu, e muito entusiasmado pra ver o que ainda vai rolar daqui pra frente. Te amo Jesus.

sábado, 28 de agosto de 2010

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

3 trechos do Peregrino da Alvorada...

Se você por algum motivo escuso ainda não sabe que o terceiro filme de Nárnia vai estrear no final desse ano, agora já sabe, e hj saíram três pequenos trechos que quero compartilhar com vocês.


Estão os três nesse link acima. Agora comentando os trechos. Achei o Eustáquio perfeito. Mas infelizmente notei algumas coisas erradas. O tesouro deveria estar em uma caverna, não em um vale. Mas o pior foi ver o príncipe Caspian junto com as crianças e o Ripchip indo pra além mar. O Caspian fica, poxa! O que ele tá fazendo alí? Estou começando a ficar com medo de me decepcionar com esse filme, acho que por esta ser minha crônica favorita eu estou esperando coisa demais dela...
Vamos esperar pra ver...

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Vazio


"Ele sempre esteve aí,
O vazio, o nada, o silêncio.
As vezes eu fingia não vê-lo
Apenas para não me incomodar tanto

Com o passar do tempo ía ficando difícil ignorá-lo
Ele ia ficando cada vez mais nítido...
Fingir já não era o suficiente, então tentei preenchê-lo.
Mas era vazio demais.

Tentei preenchê-lo com a aprovação das pessoas,
Por um tempo pareceu satisfatório,
Mas não demorou para perceber que a aprovação das pessoas é relativa e passageira
E assim percebí que ainda havia muito vazio a ser preenchido
E que a aprovação era pequena demais para preencher tamanho espaço.

Tentei então preenchê-lo com minha profissão.
Me afundava de trabalhar todos os dias...
No início pareceu funcionar, mas na verdade só servia de distração.
Enquanto eu trabalhava não reparava no tamanho do vazio, mas ele continuava lá.
E nas noites mais frias e nos feriados eu não podia evitá-lo.

Tentei então preenchê-lo com coisas.
Acabei com meu cartão de crédito, comprei tudo que pude imaginar.
Carro, mobílias, apartamento, televisões, computadores...
Tudo que havia de mais sofisticado era meu.
Mas tentar preencher o vazio com coisas
é como tentar encaixar uma peça de um quebra cabeça em outro.
Por mais que você tente, jamais encaixaria.

Tentei preencher o vazio então com um lar.
Sim, uma família seria capaz de fazer isso.
Me casei, tive filhos... mas eles não eram capazes de suprir o meu vazio.
Não eram bons o bastante...
Me separei, casei novamente e tive outros filhos.
Só então percebi que não era possível preencher aquele vazio com uma família.

Minhas alternativas se esgotaram. Meus filhos já tinham filhos.
Ninguém se importava muito comigo a essa altura.
Mas o vazio continuava a me fazer companhia, a crescer a me provocar.
A angústia já era insuportável
e a falta de relacionamentos profundos e verdadeiros era encorajadora...

Talvez a única forma de tirar aquele vazio de dentro fosse abrindo um furo para que ele pudesse sair.
Essa era a única alternativa que não havia testado.
Juntei todos os meus motivos, abandonei o medo, tirei uma arma da gaveta e puxei o gatilho.

Então entrei em desespero,
pois por mais terrível que fosse conviver com o vazio que havia dentro de mim
sempre houve resquícios de coisas no mundo externo a minha pessoa.
Agora tudo que havia a minha volta somou-se ao que continuava a me preencher:

O nada,
O Vazio,
O Silêncio,
Pra sempre..."

Yuri Costa

É medonho imaginar que tantas pessoas a nossa volta (sobre)vivem dessa maneira. Enquanto outros de nós temos um incrível privilégio de ter a única coisa que preenche esse vazio. Um relacionamento com Jesus. Ele nos ama, nos ama demais. Acho fantástico a forma como C.S.Lewis descreve isso em Nárnia "O Sobrinho do Mago", esse é o texto que mais gosto dessa crônica. Digory amava demais sua mãe que estava na Terra muito doente, e esperava conseguir algo em Nárnia que a curasse, quando conheceu Aslana soube que ele poderia curá-la, e é mais ou menos nesse momento que acontece o texto:

"_Mas por favor, por favor, o senhor não poderia me dar qualquer coisa que salvasse minha mãe?

Até aquele instante, só olhara para as patas do Leão; agora, com o desespero, olhou-o nos olhos. O que viu o surpreendeu mais do que qualquer outra coisa. Pois a face castanha estava inclinada perto do seu próprio rosto e (maravilha das maravilhas) grandes lágrima brilhavam nos olhos do Leão. Eram lágrimas tão grandes e tão brilhantes, comparadas às de Digory, que por um instante sentiu que o Leão sofria por sua mãe mais do que ele próprio."

terça-feira, 17 de agosto de 2010

A resposta que Aslan espera...

(Cocheiro) "Bom senhor... um sujeito só pode saber as coisas depois que experimenta. Até hoje só briguei com meus próprios punhos. Eu espero... quer dizer... eu tentarei fazer a minha parte." Crônicas de Nárnia O sobrinho do Mago.

Bom, já sabemos o quanto Deus quer se relacionar conosco e podemos sempre ser sinceros com Ele (inclusive é um assunto que ainda pretendo aprofundar), mas não é bem esse o assunto, queria compartilhar essa parte do livro com vocês porque sinto que é essa a postura que Ele espera que tenhamos, sabe, quando Ele nos manda agir.

As vezes pensamos em desculpas, em motivos, em esquivas, mas o que importa é a decisão final, é saber se no fim vamos dizer, ok, eu vou tentar fazer o meu melhor. Os resultados ficam por conta dele, da nossa parte só basta termos o desejo de fazermos o melhor de nós... Ah e não devemos esquecer que já sabemos de muita coisa que Deus nos manda fazer, já tem muita coisa pra praticar e dizer sim, então nada de dizer que não sabe qual a vontade dEle pra você.

E aí qual vai ser sua postura? Espero que a mesma do cocheiro...

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

O evangelho segundo a Disney



Achei um vídeo formidável no youtube e precisei compartilhá-lo com vocês, e ainda tem gente que diz que Disney é coisa do diabo rs... sinto muito não ter legenda, mas basta saber que é sobre o evangelho e que as músicas vão se encaixando com o que eles estão dizendo... espero que gostem, porque eu achei o máximo...

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Lobos



Eu não esqueci da minha promessa não, estão aí os desenhos que prometí... mas faltou um que num pegou direito no scanner não sei porque... desculpem por postar tão tarde, mas é que precisava dos scanners da facul pra poder mostrar os desenhos pra vocês...

Os desenhos são todos sobre o tema: Lobo, e tds feitos com nanquim, o primeiro com pena, o segundo com caneta e o terceiro com pincel... espero que gostem...


quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Acampamento em breve

Fala galera, não podia deixar de dedicar um post para lembrar a alguns e avisar a outros que o acampamento do Mosaico está para acontecer, nos dias 04 a 07 de setembro vamos passar um tempo juntos buscando a vontade de Deus e a sua presença. Talvez você esteja pensando que ainda é cedo pra falar disso, mas não é bem assim, temos um limite máximo de 70 vagas (sem contar os 10 equipantes), e as vagas já passam das 50 (portanto daqui pra frente o valor total é de 90 reais), bom se você ler isso e ficar interessado em participar me mande um e-mail ou me procure no msn para conversarmos... bom por hoje é só isso, espero que estejam gostando do visual do blog, eu adorei... ah e amanhã se tudo der certo devo trazer alguns dos meus trabalhos dessa semana para vocês verem, não percam...

terça-feira, 10 de agosto de 2010

De volta a Narnia


Primeiro quero dizer que estou muito feliz em voltar a escrever no Blog, não vou nem ousar me desculpar ou prometer nada, entretanto estou interessado é claro em escrever com frequência como nos bons e velhos tempos, vejamos quanto tempo duramos dessa vez (espero de todo o coração que um bom tempo), bom de qualquer forma quero compartilhar com vocês em alguns de meus futuros textos algumas coisas que me chamaram à atenção em Nárnia, já que estou lendo este excelente livro mais uma vez... comecemos do início então. (Sei que já escrevi sobre isso antes, inclusive usando os mesmos textos, mas como reformulei todo o blog, estou considerando tudo novo, sem contar o fato de que achei necessário voltar a falar nesse assunto já que tomamos decisões a todo momento, e estes pensamentos acabam por se tornar quase que inevitáveis, de qualquer forma vamos em frente):

" Ousado aventureiro, decida de uma vez:
Faça o sino vibrar e aguarde o perigo
Ou acabe louco de tanto pensar:
'Se eu tivesse tocado, o que teria acontecido' "

Este é um texto de "O Sobrinho do Mago", nessa parte do livro Digory e Poly haviam chegado a um mundo diferente do deles, e acabaram se deparando com um pequeno pedestal que possuía um sino e um martelo, além dos dizeres transcritos acima. Na história Digory cede a curiosidade proporcionada pelo texto e toca o sino o que acarreta em uma porção de complicações, mas o que me interessa é essa questão proposta de que queremos sempre saber o que teria acontecido se tivéssemos tomado uma outra rota, ou fizéssemos escolhas diferentes.

Pros que entendem o mínimo de computador, é mais ou menos como o "Desfazer"
(atalho: ctrl + Z), que nos permite voltar em nossas escolhas e optar por outra para consertar o que achamos que não havia dado certo, muitas vezes desejamos que a vida tivesse um Ctrl + Z, isso nos daria um enorme controle sobre nossas situações não é? Caso eu me arrependa de ter feito uma escolha simplesmente volto e faço outra, assim nunca "erraríamos" não é? Bem eu preciso muito dizer algo a mim mesmo e à você. Isso não vem de Deus!

Claro que nos parece algo interessante, porque daria ainda mais poder à nossa independência, mas não é isso que Deus (ou Aslan, já que estou comparando com Nárnia), nos propõem. A proposta de Aslan é de depender dele, de fazer exatamente como ele diz sem jamais sabermos o que teria acontecido, porque graças a Ele as decisões que tomamos não mudam, e sendo assim a que ele tomou, morrer em nosso lugar para que pudéssemos viver, também jamais mudará.

Sei que escolher fazer a vontade de Aslan nem sempre é algo fácil, muitas vezes ela vai contra nossos interesses egoístas, ou nossos direitos, sem falar que sempre dependem da nossa confiança de acreditar e agir sem sabermos exatamente o que irá acontecer, mas, apesar de tudo isso, é muito melhor dependermos e nos relacionarmos com Ele, alguém que não nos mostra jamais o que teria acontecido, mas que nos garante a sua presença quando nos submetemos a Ele e então descobrimos juntos o que ainda há de acontecer.

"_Dizer o que teria acontecido? Não, a ninguém jamais se diz isso. (Aslan)
_Oh que pena! - exclamou Lucia
_Mas todos podem descobrir o que vai acontecer - continuou Aslan. _Se voltar agora e acordar os outros para contar-lhes outra vez o que viu, e disser que eles se levantem imediatamente e me sigam... que acontecerá? Só há um modo de saber..." (Trecho de Príncipe Caspian)

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Propagandas

Pra quem me conhece talvez achou pelo título que eu iria falar sobre propaganda, mídia e afins, mas não é isso não... estou aqui para fazer algumas propagandas e sugestões.

1º Filmes, essa semana assisti Alice, Planeta 51, Bolt e A Princesa e o Sapo. E infelizmente desses todos o único que eu recomendo é o Bolt, os demais tem uma grande defasagem quanto ao roteiro, e no caso do planeta 51 uma mediocridade quanto aos personagens. Já o Bolt não é nenhum arrasa quarteirões, mas é um filme divertido, bem escrito e com personagens marcantes, vale a pena ver...

2º Já começo a fazer propaganda do nosso campeonato de video game que teremos no dia 26 de Junho, portanto já vai reservando essa data e treinando para participar de um desses games: Mario Kart Wii, Street Fighter 4 (Play3) ou Winning Elleven 10 (Play2). Mais informações em breve...

3º Quero divulgar o blog do Mosaico CPV, que está na minha lista de blogs ao lado, está com post muito legal, chamado amo muito tudo isso, onde vc comenta algo que vc realmente gosta de fazer e porque, achei a idéia muito legal então não deixe de dar uma passada por lá...

Bom por hoje é só... mas prometo que volto logo com mais informações sobre o campeonato e com outros posts...

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Set me Free

Já faz algum tempo que quero compartilhar com vocês este fabuloso clip que mistura cenas de Kingdom Hearts (que já foi alvo de muitos posts nesse blog) com uma excelente música da banda Casting Crowns. Bem, vou postar dois vídeos, mas é exatamente a mesma música, porém o primeiro está com uma qualidade melhor, entretanto sem legendas, e o segundo tem uma menor qualidade mas tem legenda.







Por hoje é só pessoal... ^^

terça-feira, 13 de abril de 2010

Dar Glórias

Quero compartilhar com vocês algo que mexeu muito comigo no culto esse domingo, meu pai estava falando sobre por que adoramos (se alguém quiser ver na íntegra está disponível no site: www.comunidadedevinhedo.com.br), e em um ponto ele explicava sobre o que é dar glórias a Deus. Como ele mesmo disse dar glórias, não é simplesmente dizer glória a Deus, mas sim glorificá-lo com sua vida, é adoração, é você dar do melhor do seu tempo, da sua máxima energia, de todo o seu empenho, de todo o coração se entregar por Jesus, isso significa sacrifício. Para conseguirmos fazer algo assim precisamos sacrificar nosso tempo e as outras coisas que nos são tão valiosas, pois muitas vezes as demais coisas se tornam mais valiosas do que Deus, ou seja se tornam ídolos para nós, não vou me estender nesse assunto porque acho que já falei bastante sobre trocar o que nos é valioso por amor a Jesus no post do desenho do Mickey. Mas voltando a questão em si do sacrifício, quero ajudá-lo a refletir um pouco sobre o que tem sido alvo de seus sacrifícios, de seu esforço e em quem você tem buscado reconhecimento.

Você se sacrifica pelo Trabalho? Muitas vezes sacrificamos nosso tempo devocional com Deus, os encontros com a comunidade, seja aos domingos ou em pequenos grupos, nosso tempo com a família e tantas outras coisas em função do nosso trabalho, e incluo aqui nossa Escola ou Faculdade. Abrimos mão de muitas coisas para realizarmos melhor nossos afazeres, mas por que? O que queremos com isso? Na maior parte das vezes (se não forem em todas as vezes) buscamos ser reconhecidos pelas pessoas, pelo nosso chefe, ou professores ou colegas, e pouco nos importamos com o reconhecimento de Deus. O pior é que não pensamos muito para nos sacrificar pelos nossos trabalhos, provas e afins, mas não podemos nem sequer pensar em sacrificar nosso programa da televisão, ou a horinha na internet por Jesus. Afinal quem temos adorado?

Existem ainda outros motivos pelos quais nos sacrificamos, família, amigos, recursos materiais, dentre outros, e por melhor que eles pareçam nem um deles vale o sacrifício que deveríamos ter para com Jesus. Quero terminar com um texto que lí hoje, e que mostra uma verdadeira atitude de sacrifício, de alguém que realmente temia a Deus.

Gn 22 v2: "Então disse Deus: Tome sue filho, seu único filho, Isaque, a quem você ama, e vá para a região de Moriá. Sacrifique-o alí como holocausto num dos montes que lhe indicarei."
v3: "Na manhã seguinte, Abraão levantou-se e preparou o seu jumento. Levou consigo dois de seus servos e Isaque, seu filho. Depois de cortar lenha para o holocausto, partiu em direção ao lugar que Deus lhe havia indicado."
v9: "Quando chegaram ao lugar que Deus lhe havia indicado, Abraão construiu um altar e sobre ele arrumou a lenha. Amarrou seu filho Isaque e o colocou sobre o altar, em cima da lenha. Então estendeu a mão e pegou a faca para sacrificar seu filho."
v12: "'Não toque no rapaz', disse o anjo 'Não lhe faça nada. Agora sei que você teme a Deus, porque não me negou seu filho, seu único filho.'"

quinta-feira, 1 de abril de 2010

It's me Mário

Pois é gente venho hoje compartilhar com vocês algo inacreditável...

Eu conheci o Mário pessoalmente. Nesta quarta feira estive na Game World 2010, um dos maiores eventos de exposição de games do Brasil no Shopping Frei Caneca aqui em São Paulo (pois é, viver em Sampa tem lá suas vantagens). E advinhem quem estava lá? Charles Martinet o dublador oficial de Mário, Luigi, Wario, Waluigi, Baby Mário e Baby Luigi. Ganhei dois pôsteres autografados e morrí de rir com ele fazendo várias vozes diferentes em sequência. Sem dúvida foi uma oportunidade única.

Além dessa enorme atração haviam diversos estandes das publicadoras e desenvolvedoras de games, testei o Wii Fit Plus (difícil de acostumar, sensível demais), o Wii Sports Resort com o Motion Plus (aparato que se usa no controle do wii para maior sensibilidade dos movimentos, e galera é incrível joguei um tênis de mesa e ele responde a cada efeito com precisão), Final Fantasy 13 (sistema de batalhas fantástico e gráficos impressionantes), God of War 3 (a equipe que criou as animações desse jogo deve ter morrido de tanto trabalhar), Tekken 6 (finalmente tekken ficou solto e gostoso de jogar), wario ware num DSiLL (um DS com telas enormes) e muitas outras coisas.

Ainda teve um campeonato de cosplay (fantasias de personagens de games no caso) apresentado pelo Charles Martinet com um nível inacreditável, fantasias perfeitas e super complexas, os três melhores colocados foram: Kefka do Final Fantasy 6 (tava tão boa que era impossível reconhecer se era um homem ou uma mulher), Princess Peach (podia gravar um filme de tão idêntica que estava) e em primeiríssimo lugar uma Samus Aran dos jogos Metroid que estava impressionante.

Tudo foi incível e único só lamento não ter uma câmera fotográfica...

Obs: só para terem uma noção do que foi o cosplay da Samus


quinta-feira, 25 de março de 2010

Intermind




O título e o slogan do blog são respectivamente: Intermind, Uma conexão de pessoas e pensamentos. E é justamente essa a minha proposta hoje, quero compartilhar alguns pensamentos com vocês.

-Nossa, o desenho do post anterior não sai da minha cabeça, parece que Deus tá falando muito sobre sua graça entre as pessoas que eu conheço ultimamente.
-A semana voou, sempre passa mais rápido quando eu mantenho uma relação saudável de relacionamento com Deus.
-Nossa tem um monte de textos pra terça-feira melhor ir lendo aos poucos dês de já.
-Que clima esquisito, hoje choveu o mundo inteiro aqui em São Paulo, de dar medo, e ainda assim estou morrendo de calor.
-Provérbios é um livro muito legal, tem diversas dicas excelentes, mas colocá-las todas juntas deixa difícil de assimilar tudo, deveria existir uma caixinha de provérbios (como aquelas caixinhas de promessas).
-Hoje comecei a fazer um exercício de redesenhar (copiando no InDesign) uma capa de livro, hehe, logo, logo vou estar editorando...
-É incrível como é mais fácil se manter conectado com Deus e consequentemente com o resto do corpo de Cristo (mesmo que não fisicamente) quando se tem uma certa responsabilidade de orar por pessoas (amigos, família, etc).
-Sábado = Mosaico + MPC = Muito Loko
-Estou querendo voltar as raízes desse blog e voltar a definir um tema por dia para escrever, acho que facilita o processo criativo...

E você, no que está pensando? Compartilhe comentando...

quarta-feira, 24 de março de 2010

Histórias de Deus (2)

Nossa... minha temporada de verão foi muito mais longa do que o tempo em que passei em BH, sinto muito por ter feito vocês esperarem tanto. Mas finalmente mais uma vez me sinto pronto para retomar as atividades do Blog, quem sabe dessa vez a minha freqüência assídua dura mais tempo né...
Bom, eu finalmente achei um vídeo que estava procurando a um tempão, mas só o encontrei em inglês, o vídeo é um pequeno episódio de um desenho da disney "Aconteceu no Natal do Mickey" e é a última das três histórias desse desenho, apesar de ser em inglês acho que pelo contexto e por ser desenho dá pra entender bem. A história que quero contar hoje é a melhor história de todas e acho que o vídeo ilustra um pouco do que quero contar. Sei que é um pouco grande, mas vale muito a pena.




Caso alguém não tenha entendido bem vou explicar resumidamente. Mickey e Minnie são um casal. O natal se aproxima e ambos estão sem condições financeiras de comprar um presente para o outro, eles se esforçam para dar de presente algo que estivesse relacionado ao objeto que o cônjuge mais valorizava (no caso do Mickey a gaita e no da Minnie o relógio), dão umas indiretas no começo do episódio falando o que pretendem comprar, mas o outro parece não entender bem. Se esforçam em seus trabalhos para conseguirem dinheiro a tempo de comprar o presente, mas outros empecilhos acontecem em seus trabalhos e eles continuam sem grana para comprar o presente. Então ambos decidem trocar aquilo que é mais precioso para presentear seu respectivo cônjuge. Quando chegam em casa e trocam os presentes percebem que os dois fizeram a mesma coisa. A frase mais linda do episódio é dita nessa cena, pela Minnie: "Ó Mickey eu nem acredito que você abriu mão daquilo que te era mais valioso por mim".

Nossa, essa é a segunda vez que vejo esse desenho e as duas vezes eu chorei. Porque inevitavelmente eu me lembro da graça de Deus. Eles só abriram mão do que era mais valioso pra eles, porque ainda mais valioso que os objetos, era para eles o seus respectivos cônjuges. Deus da mesma forma nos ama muito, mais do que a qualquer coisa, porque abriu mão da vida de seu único filho por nossa causa, abriu mão do que lhe era mais valioso, por mim, sem esperar nada em troca. No desenho nenhum dos dois sabia que o outro faria o mesmo, eles não agiram esperando algo em troca, foi tudo exclusivamente por amor.

Não consigo evitar de me perguntar o quanto eu amo a Deus depois de ver e pensar em todas essas coisas... ele não espera que eu faça nada em troca do que ele fez por mim, mas por amor eu desejo fazê-lo, muitas vezes fico cego diante de tantos objetos que valorizo, e acabo não percebendo que Jesus é pra mim muito mais valioso que qualquer outra coisa.

Mais uma vez estou, e convido você a também estar diante de Deus e abrir mão de todas as outras coisas que você valoriza para presenteá-lo com a sua devoção, com o seu amor, recursos e tempo. Não por obrigação, porque ele não exige isso de nós, mas por amor.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Temporada de Verão

Mais uma vez sinto em ter de interromper a frequência dos posts, mas nesse domingo estarei viajando para BH no acampamento da MPC, onde ficarei por cerca de 20 dias, portanto sentirei saudades de você, mas ficarei sem postar por um tempo, aguardem o meu retorno...

sábado, 2 de janeiro de 2010

Histórias de Deus (1)

Escrevo esse post para incentivar você a parar para perceber sempre o que Deus está fazendo na sua vida, como a sua história tem sido trabalhada por ele. Na pós-modernidade uma das maiores queixas das pessoas (inclusive das cristãs) é a dúvida. Temos que tomar decisões demais, cedo demais. E muitas vezes nos preocupamos com o que será delas no futuro, o que acontecerá devido a ter tomado tal decisão. Aos cristãos tenham bom ânimo, Deus está sempre interagindo em nossa história e quero dar alguns exemplos aqui, sobre isso, sobre como as vezes nos preocupamos demais ou temos medo das situações mas ainda assim Deus está no controle.

A primeira história é uma sobre mim. Para quem não sabe, eu sofro de uma doença genética chamada displazia, o que no meu caso ocasionou o fato de eu ter nascido sem 22 dentes permanentes. Logo exceto por raras excessões quando um dente meu cai, nenhum outro substitui, fico banguela até que eu faça um impante. Atualmente estou banguela de 5 dentes no total, mas nem dá pra perceber, tanto que se eu não conto essa história as pessoas nunca perceberiam a minha falta de dentes. Mas o incrível é a história toda que se passou. Nasci assim, mas só descobri (ou melhor minha família descobriu) que tinha tal doença por volta dos 3 anos de idade. Quando brincando com meu irmão mais velho bati com tudo o rosto no chão e perdí os dois denetes da frente. Fui ao dentista de meus pais, o Armando, lá em Ribeirão Preto (na época eu morava em Balneário Camboriú). Ele fez um aparelho com meus próprios 2 dentes para que eu como criança não desacostumasse a morder e comer normalmente enquanto os dentes permanentes crescescem (eu suponho), mas no processo foram feitos alguns exames como radiografia panorâmica e voalá, descobriu-se que eu não tinha a formação de diversos dentes permanentes (porém os dois que eu quebrei eu tinha). Isso já foi algo importante, se não demoraria muito a descobrir da doença e meus pais possivelmente até se preocupariam com o fato de meus dentes de leite não cairem nunca (e estão a maioria comigo até hoje, bem úteis na boca rs).

Mas a história continuou. Meus dentes permanentes (os da frente) cresceram separados, bem separados na verdade. Qualquer um que tenha me conhecido na época se lembra bem disso. E eu fiquei com eles separados por algum tempo, se não me engano quando estava lá pela sexta série (ou como é chamado atualmente, sétimo ano), não podia mais adiar, precisava de um aparelho que juntasse os dentes da frente, o único problema, é que um aparelho comum mexeria com toda a minha "sensível" arcada dentária e poderia acelerar a perda dos meus dentes de leite. Eu já morava em Rio Claro fazia algum tempo, mas continuava frequentando o agora "meu" dentista em Ribeirão (eh, Armando hein, rs), e para fazer um aparelho que juntasse os dois dentes da frente sem mecher nos demais seria necessário fazer uma cirurgia que colocasse duas peças na minha gengiva superior e usando essas peças como suporte fazer um aparelho apenas para os dois dentes da frente, assim como estava embasada nas peças e consequentemente na gengiva não afetaria as demais áreas da arcada. O único problema é que essas peças eram raríssimas no Brasil e cada uma custava mil dólares (que na época valiam quase 3 reais), inacreditavelmente uma das raríssimas cidades do Brasil que possuiam a peça era Rio Claro, e a pessoa que as possuía quando soube da minha história as deu de graça (2000 dólares Oo), a cirurgia também foi coberta pelos dentistas e cirurgiões e no fim das contas fora a dor e o stress da cirurgia não gastei nada, fantástico.

A história continua até hoje, muitos dos meus dentes de leite ainda permanecem firmes, mas como eu disse 5 já se foram, e o último que se foi tá dando trabalho porque deixou um nervo exposto. Pensar que logo eu terei que fazer o implante de trocentos dentes não é algo agradável, provavelmente será dolorido e muito caro, sem falar no tempo que vai gastar, ainda não sei se terei que trancar a facul por um tempo pra dar conta, mas querem saber, não estou preocupado, depois de ver Deus fazer tanto nessa minha história é quase que ridículo temer que ela fuja do controle de Suas mãos. Analisar as obras de Deus na nossa história nos traz confiança para acreditar no controle dEle sobre nosso futuro.

Conto outras histórias nos próximos posts.

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Devoção sem livre Arbítreo?



Bom, confesso que já pensei isso antes, inclusive já pedi isso a Deus outras vezes: "Deus me faz amá-lo, me faz ler a bíblia e fazer sua vontade". Mas para isso o livre arbítreo iria pro espaço, mas o que que tem né? Será que seria tão ruim ser devoto a alguma coisa sem ser por opção, sem ser por livre arbítreo? Bom, mais uma vez o filme do Senhor dos Anéis exemplifica isso muito bem, acho que qualquer um que tenha visto o filme se lembra bem do "rapaizinho" aí em cima... Smeagol, ou Góllum é um típico exemplo de devoção sem livre arbítreo.

O anel para Smeagol, é seu precioso, é o objeto de sua total devoção. Ele o ama e o idolatra e mesmo sabendo do mal que aquilo lhe causa ele é totalmente devoto a tê-lo e protegê-lo. É impressionante ver tudo o que ele faz e o que se permite passar, tudo o que ele se torna e a forma como ele se desumaniza por causa de sua devoção, impressionante, principalmente porque volta nos assuntos de sofrimento que falei a poucos posts, não estamos dispostos a sofrer nenhum pouco por Jesus, o objeto da nossa devoção. E o Góllum sofre horrores, mas não abre mão de seu precioso.

Concluímos que devoção sem livre arbítreo é escravidão. Mas livre arbítreo sem devoção é independência. E significa que Deus não é o nosso precioso. E então qual é o seu precioso. A Bíblia tem uma história muito boa pra isso também. Diz que um colecionador de pérolas descobre um terreno que tem uma pérola de grande valor, ou melhor, de maior valor, é a pérola mais valiosa que ele já viu, é sua preciosa, e por isso ele vende tudo o que tem (inclusive sua coleção de pérolas) para obter a pérola de maior valor. Isso é devoção, com livre arbítreo. Isso é amor e desejo dos redimidos. É Deus sendo a pérola de maior valor sendo o nosso precioso.